BACK

Pires, M. L. and Dreyer, G.

REVENDO A IMPORTÂNCIA DO STRONGYLOIDES STERCORALIS.

Revista do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina de São Paulo , 48(4): 175-182, 1993.

RESUMO

A estrongiloidíase é uma doença parasitária de distribuição mundial e de grande importância no Brasil. Entre as diversas espécies existentes do gênero Strongyloides, apenas o S.stercoralis, o S.fulleborni e o S. fulleborni-like têm importância para o homem. Embora o S. stercoralis seja um helminto intestinal, a estrongiloidíase é uma infecção sistêmica, podendo acometer além do trato gastrointestinal, os pulmões, SNC, fígado e vias biliares, pâncreas, trato genitourinário e pele. Na maioria dos casos, a estrongiloidíase é assintomática, de curso crônico e benigno. Os sintomas gastrointestinais e pulmonares são os mais importantes entre os casos sintomáticos. Por motivo ainda não muito bem compreendidos, a infecção pelo estrongilóides pode resultar em doença severa e disseminada. O uso de terapia imunossupressora foi identificado como fator de risco importante para a forma disseminada nos países industrializados. O diagnóstico da estrongilodíase pode ser difícil, e embora o exame parasitológico de fezes seja o mais utilizado nem sempre são identificados larvas do parasito. O imunodiagnóstico ainda não está disponível na rotina diagnóstica sendo ainda objeto de pesquisa. A droga de escolha para tratar a estrongiloidíase continua a ser o tiabendazol, no entanto, outras drogas como a ivermectina, têm sido empregadas. Esta revisão teve como objetivo recapitular os aspectos mais importantes da infecção pelo S. stercoralis no homem.

Descritores: Estrongiloidíase. Strongyloides stercoralis.