BACK

Dreyer, G. & Norões, J.

FILARIOSE BANCROFTIANA: O REVERSO DAS ALTERAÇÕES ORGÂNICAS.

Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 47(5): 227-231, 1998.

RESUMO

Os autores fazem uma retrospectiva sobre a experiência acumulada em 11 anos de atendimento em um serviço especializado em filariose linfática na Região Metropolitana do Grande Recife, área endêmica para filariose bancroftiana. Essa infecção é responsável pelo aparecimento de formas crônicas em cerca de 15% da população infectada, que mundialmente é estimada em mais de 100 milhões. Formulam considerações sobre a doença, de uma maneira geral, e, em particular, sobre as suas formas crônicas, que acometem ambos os sexos. Com base nas suas observações, comentam as repercussões psicossociais que as manifestações desfigurantes e estigmatizantes acarretam na população afetada. Finalmente, chamam a atenção para a importância e para a necessidade da realização de um trabalho de investigação sistematizado, a fim de melhor se conhecerem e se quantificarem as repercussões psicológicas da doença filarial, até então desconhecidas. Se esse aspecto não for contemplado, a doença não será vista no seu todo e o paciente não será completamente assistido.

Unitermos: distúrbios psicológicos; disfunção sexual; doença filarial.